Melatonina é importante para o processo de transplante de medula, diz estudo

Logomarca da Universila BLOG

O estudo foi realizado por pesquisadores do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo – em colaboração com o Instituto Weizmann de Ciências, de Israel.

Você sabe ou lembra o que é melatonina?

É um hormônio produzido pela glândula pineal no cérebro durante a noite e tem a função de informar o corpo da escuridão e preparar o descanso noturno.

Bem, essa pesquisa publicada na revista Cell Stem Cell traz a boa notícia que demos a você desde o início: a melatonina pode ser de grande ajuda no processo de transplante de medula óssea.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores observaram o número de células-tronco na medula óssea de camundongos em 24 horas.

A análise mostra que a produção dessas células tem dois picos por dia (às 11h e 23h, respectivamente), e é regulada pela transição entre as fases de entrada do dia ou da noite.

A coordenadora de pesquisa Regina Pekelmann Markus explicou: "Às 11 horas da manhã, as células-tronco da medula óssea proliferam e se diferenciam em células do sangue. Elas se espalham às 11 horas da noite, mas são armazenadas nos ossos, o que possibilita que os ciclos diários de produção e reposição dessas células existam na medula óssea".

Tudo bem, mas como essas descobertas podem contribuir efetivamente para a medicina e a ciência?

Nós explicamos para você! O líder da pesquisa acredita que essa descoberta pode ajudar a adotar estratégias mais decisivas para melhorar a eficiência da coleta de células-tronco no transplante de medula óssea humana.

[Fonte: UOL // Viva Bem]